Home Notícias Como evitar que clonem seu WhatsApp (e outras contas) – O seu mundo digital mais seguro #Ep1

Como evitar que clonem seu WhatsApp (e outras contas) – O seu mundo digital mais seguro #Ep1

Como evitar que clonem seu WhatsApp (e outras contas) – O seu mundo digital mais seguro #Ep1

Imagine a seguinte situação: você recebe
uma mensagem de um contato seu no WhatsApp   com um estilo de escrita diferente do normal. A
mensagem também é um pedido nada convencional:   um empréstimo rápido e urgente de uma
certa quantia em dinheiro. No começo,   você desconfia, mas aí confere e nota que o
número de telefone e até a foto batem com a   pessoa. O que fazer nessas horas?
Se você nunca passou por isso,   já deve ter falado com alguém que passou.
O fato é que golpes de clonagem de WhatsApp   estão cada vez mais comuns e o Brasil é um
mercado bastante aquecido nesse sentido.
Mas você sabe como isso acontece? E o que
fazer para se prevenir e não ter o número   copiado por criminosos? E se você já caiu, tem
jeito de reverter a situação? Conhecer a fundo   esse fenômeno é um primeiro e ótimo passo
para ficar mais protegido no aplicativo.
Primeiro, a gente precisa desfazer uma confusão
aqui. Sabe quando você vê alguém nas redes sociais   dizendo que tem uma pessoa se passando por
ela, mas com um número diferente? Esse é um   caso de falsidade ideológica, que é a cópia de
dados pessoais para personificar alguém.
O nosso tema aqui é a clonagem, que é muito mais
grave. Ele envolve o roubo do número de celular   em si, o que garante muito mais credibilidade
para quem está do outro lado do mensageiro.
Como a conta no WhatsApp é ativada com base
em um número de celular, quem clonou o seu   telefone ganha acesso completo ao perfil.
A partir daí, essa pessoa pode tentar vários   golpes, desde os pedidos de empréstimo que a
gente citou no início até roubo de informações   pessoais de pessoas próximas, como parentes.
Mas como isso acontece? São ao menos dois   métodos que são usados com frequência.
O primeiro é uma técnica chamada   SIM swap e é um pouco mais complexa.
Primeiro, o criminoso compra um chip sem   número registrado. Depois, ele ativa a
linha que pertence a você, trocando de   dono e virando o responsável pelo telefone.
Isso é ilegal, mas pode ser feito com ajuda de   um funcionário da operadora ou
pessoas com acesso ao sistema,   ou até com o criminoso se passando por você e
conseguindo confirmar informações pessoais.
O segundo método é mais direto e envolve
engenharia social, que é a técnica de invasão   com base na conversa, normalmente com a pessoa
do outro lado da linha fingindo ser um prestador   de serviços ou funcionário de uma empresa.
Essa pessoa está atrás do código enviado pelo   WhatsApp via SMS que confirma que
aquele é o seu número mesmo e é o   dono da conta que está em posse do aparelho.
Nesse caso, ele pede que você passe a sequência   numérica para ele por algum motivo falso,
como uma verificação de segurança do banco,   por exemplo. De posse do número antes que
você coloque essa sequência no seu celular,   é possível copiar a conta para outro dispositivo.
E como tudo isso acontece? A maior parte dos   golpes de clonagem ocorre porque as contas não
possuem a verificação em dois fatores, que é uma   espécie de segunda senha com seis dígitos.
Diferente do SMS, esse é um código que você   escolhe e não deve passar para ninguém e em
nenhuma circunstância. O problema é que a sua   configuração não é padrão, ou seja, cada pessoa
precisa manualmente fazer essa ativação.
Para isso, acesse o item Configurações do
WhatsApp, vá na opção “Conta” e depois em   “Confirmação em duas etapas”. Clique em “Ativar” e
siga os passos na tela para cadastrar a senha.
Mas fique esperto! Ainda é possível cair
em clonagens do WhatsApp mesmo com esse   mecanismo ativado, caso o golpista use
técnicas de engenharia social para pedir   a sua senha ou instalar softwares espiões no
seu telefone. Desconfie de links suspeitos   ou daquelas promoções boas demais para serem
verdade, e não passe dados pessoais sensíveis   por aí: o WhatsApp não entra em contato direto
por telefone ou por uma conta pessoal.
Agora que você sabe como funciona a clonagem
de WhatsApp e quais os principais cuidados,   é bom entender também o que fazer caso
você seja uma vítima ou conheça alguém   que está passando por esse problema.
A clonagem é fácil de identificar:   do nada, você para de receber mensagens,
chamadas e notificações. Além disso,   janelas de erro no mensageiro avisam que o
seu número está ativado em outro aparelho.
Se você suspeita ou tem certeza
de que caiu em um golpe desses,   entre em contato ou vá em uma loja física da
operadora para resolver a situação e recuperar   o controle da linha com um novo chip. Feito
isso, ative novamente o WhatsApp, e ligue   a verificação em dois fatores.
Se você preferir, é possível pedir a   desativação da conta ao próprio WhatsApp. Isso
é feito via email, enviando uma mensagem para   [email protected]. No assunto e no começo
da mensagem, coloque a seguinte frase:   “Perdido/Roubado: Por favor, desative minha
conta”. Em seguida, digite também o número do seu   telefone, incluindo o DDD e o código internacional
do país, que no caso do Brasil é +55.
Por fim, avise os seus contatos para
evitar que eles virem vítimas de fraudes   financeiras. A clonagem de WhatsApp deve
continuar por aí, mas quanto mais pessoas   estiverem informadas e protegidas, menores são
as chances de esse golpe ser bem sucedido.
Continue ligado aqui no canal para mais dicas
de segurança que estamos trazendo em parceria   com a Avast. Deixa o seu joinha aqui no vídeo e
cuide muito bem do seu WhatsApp. Até a próxima!

4.7/5 - (181 votes)
Você também Pode Gostar de Ler essa Matéria:   As 5 piores pragas do Brasil

Postagens relacionadas, Também pode te Interessar